Monthly Archives

junho 2020

Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta

By | instituto

Bom dia.

Dia de sempre, o mesmo dia, dia de todos, de alegria. O vento sopra, a brisa passa, a Terra gira, tudo se vai.

Vai o dia, vem à noite, vai a tristeza vem a alegria.

Assim sempre indo, neste vai-e-vem sem fim, transcorre a vida, aparece a morte, princípio, meio e fim. Alegria, pois, sejamos alegres. Construamos a cada segundo o transcorrer das coisas.

Horas passam enquanto dormimos, as horas passam enquanto acordados, ela as sempre passam, quer estejamos ou não agindo. Ninguém pode deter a marcha, o tempo, o movimento.

Movimento pra onde? Sem direção, sem metas. Movimento apenas movimentando e transformando. Mudando as formas, mudando as pessoas, criando e destruindo sonhos, criando e destruindo vidas. O movimento é ação de Deus.

O movimento é a criação. Nada é criado ou destruído sem o toque Divino. No movimento, o toque, a ação do mestre criando. Criar, construir, o novo a partir do velho. Este é o verdadeiro sentido do movimento. Inovar. Tornar novo. O movimento altera, muda, constrói, para promover nossa evolução. O que está parado não evolui. O que está quieto apenas é levado pelo movimento maior, não se transforma.

Deixar-se levar, transformar-se, a escolha é de cada um.

Abraços, Jerê.

27.9.90

Trecho do Livro: Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta. Pág.99

Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta

By | instituto

Informe:

Hoje é um outro dia.

Dia após dia.

Sucessão de fatos.

Maravilhas.

Andemos.

É bom está com você.

Há um mal-estar. Tudo bem. Seremos breves.

Ouça: Seja prudente. Não se precipite. Cautela.

 

Jeremias Horta.

18.07.90

Trecho do Livro: Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta. Pág  1.

Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta

By | instituto

Bom dia.

Quietude, silencio interior. Sossego. Precisamos estar sossegados para viver. Você precisa exercitar muito a quietude. Não precisa se esforçar para nada. Todo esforço é desnecessário e inútil. Tudo tem seu ritmo e movimento, observe.

Siga o movimento. Não adianta quere as pessoas fora do ritmo delas. Não adianta querer as coisas fora do seu ritmo.

Nada de pressas ou correrias. Silêncio, quietude, sossego.

As palavras tiram a gente do ritmo, a pressa também.

É preciso não ter pressa para nada. Estou pregando muito isso, que é para você ter em mente, sempre. Fique quieto, não fale.

Quando falar, fale o mínimo. Observe. Sinta você primeiro, veja você e as coisas. Sinta-se e ver para depois falar.

Falar devagar, o mínimo. Estou falando de economia. Economia de movimentos, palavras e gestos. Isso faz parte da simplicidade da qual lhe falei. Simplicidade e economia andam juntas.

Uma flor simples é uma flor sem muitas firulas, um objeto simples é um objeto  que tem p mínimo necessário para funcionar.

Um homem simples é aquele que precisa de muito pouco para viver.

Ser simples é ser pouco, é ir devagar, porque não tem que chegar a lugar nenhum. Ser simples é também deixar que tudo aconteça em sua hora e lugar. Procure descobrir a vida em cada coisa, em cada situação. A todo momento você poderá estar aprendendo, e onde há aprendizagem há vida.

É isto, se você não tiver pressa e ficar, poderá aprender com tudo e em tudo, e se você aprender estará vivendo. Onde há aprendizagem há vida, e a simplicidade favorece a aprendizagem.

Nada de artifícios, entendeu? Nem verbais, nem de qualquer outra espécie. A simplicidade permite o contato. Contato consigo mesmo e com o outro. No contato há luz, há direção. Sem tempo e lugar o contato se faz. Contato para ser e ver. O caminhar, a riqueza interior se dão a partir dele.

A vida vem de dentro, não de fora. O amor, o ódio, a ternura, a inquietude, etc.,só surgirão se existirem dentro. Ninguém poderá despertar em ninguém o que não existe.  O que existe dentro de você? Repare.

Não são as pessoas, nem as coisas que o incomodam, são os seus sentimentos. Lide com eles e lidará com as pessoas e situações.

 

Jeremias.

4.9.90 

Trecho do Livro: Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta. Pág 58

Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta

By | instituto

Boa tarde.

O MEDO É RECUSA. O MEDO É COMODISMO. O MEDO É QUERER ANTECIPAR. É O COMPROMISSO EXAGERADO COM O IDEAL. VIVA O REAL.

O medo, meu caro, é a natureza do avaro.

Medo é a insatisfação do ser.

O cansaço de ter.

Medo é besteira e vaidade.

Medo é cruel, é maldade.

Medo é raiva contida.

Medo é rigidez e vaidade.

Medo é presunção, é luta e guerra.

Para perder o medo é necessário perder o irreal, o poder.

Medo é, no fundo, um grande apego a uma imagem idealizada.

Solte-se para a vida e perderá o medo.

O ser sem nada, sem apego a imagens ou formas, solto, sem compromisso, vivendo o que a vida oferece sem pretensões, não tem medo.

Vamos falar agora de simplicidade.

Simplicidade.

Ser simples é não “ter que “ nada, é não ter nada.

Simplicidade para descompromissar-se com qualquer aparência ou representação.

 

J. Horta.

3.9.90

Trecho do Livro: Mensagens Bola de Neve de Jeremias Horta . Pág. 57