Monthly Archives

julho 2021

UM DIA DE MILAGRES

By | instituto

“Plena entrega ao Fluxo”

Madrugada insone
No terceiro dia após uma cirurgia
Respirando apenas pela boca
Narinas sangrando
Muito desconforto na recuperação
Dor no peito
Estranheza e medo
Questionamentos, dúvidas, saudades
Vazio
Tento meditar … não consigo
Para onde ir?
Não tenho para onde ir
Preciso ficar aqui
Pensamentos confusos, sombrios
E até desejo de morrer
Algo morre ali?
Que assim seja!
Estranho estado
Busco meus recursos,
Eles vão me chegando um a um
Nenhum me move um milímetro
Daquele lugar sufocante
Vejo agora, QUEM conduz quem!
Desisti de lutar!
Resolvi não me mover dali
Ficar e olhar olho no olho pra mim mesma
Sentir o cheiro, ouvir os gritos no silêncio
Concordar com a desistência
Escutar a voz dos julgamentos
Ouvir as Críticas
Acolher a auto sabotagem
Presença consciente!
Fico ali, frente a frente com O QUE É
Vácuo, vazio , silêncio, nada…
Vou me percebendo dissolver
Assistindo-me desconstruir
Apagando as narrativas
Revendo as velhas e sombrias histórias
A contação da mente que mente
Desconstrução!
Fui ficando estranha
Fui ficando NADA
Sem nada querer
Sem nada fazer
Apenas Ser
Só ali!
Do vácuo me veio uma escuta assim:
E se tudo isso nunca existiu?
E se tudo isso for mentira?
E se EU SOU o oposto, o inverso disso?
E se tudo que eu acreditava ser, não sou?
E se o programa instalado, por amores enganados fossem agora deletados?
E se assim for?
E se EU SOU esta liberdade de apenas SER NADA e SER TUDO de Verdade?
Sem cristalização, só fluxo do vir a ser?
Sendo o fluxo e só sendo?
Senti o peito responder com abertura
Lembrei do meu corpo
E do Ser que o Habita
Senti o Sopro Sagrado a me respirar
Pura Vibração
Senti a cama, um campo pulsante
Ouvi o barulho do caminhão
E os gritos dos lixeiros,
Na labuta da madrugada, a recolherem
Toneladas de lixo, nas calçadas desertas
Quem sabe não recolham os meus
E os reciclem, para compor o Novo por vir
Ouvi o canto do pássaro
Nas primeiras réstias de sol
E ali, li um aviso do amanhecer:
Chegada de milagres!
Voltei pra respiração
Voltei pro corpo
A mente de novo me prendeu
Trouxe-me memórias!
Pessoas e sentimentos
Dani, Neto, Livia, Diu
Uma fileira com meus ancestrais
Um círculo de Mestres
Dúvidas, medos, culpas, vergonhas
Desistências, dores, cegueiras, tristeza
Desamparo, RAIVA!
Tudo num mix só
EU
O UM em MIM me tomou pela mão
Fomos, em consciência,
Refazer o caminho,
Para alcançar onde o Fluxo se rompeu, Onde a Vida parou de fluir,
Onde me perdi do MIM em mim,
Onde desconectou a potência da criação,
O UM em mim foi me mostrando
O peito abriu-se, me senti respirando
O FLUXO ainda está aqui?
Pedi ajuda!
Mestra Nada, Mestre Sananda, Arcanjo Uriel, Miguel, Rafael e Gabriel
Rogo pelo colo de Mãe Maria
Os Pleiadianos na estrutura umbilical
Os Lemurianos nas energias azuis
A Grande Fraternidade Branca
LUZ
VÁCUO
VAZIO
CONSCIÊNCIA
Corpo vibrante
Silêncio no profundo
Em MIM
Enfim
Dissolvi
Vácuo, silêncio, vazio …
No canto do bem-ti-vi, reconheci
O mantra Deus-em-mim
Levantei, fui preparar o “Toque de Luz”
Senti o Vácuo e me revesti DELE
Fluidamente fui sendo, eu mesma,
A própria mensagem Compartilhada
Expandi na Unidade
A mensagem, uma nave de palavras,
Cápsulas contendo consciências, Verdades e sentidos
LUZ VIVA PARA TOCAR VIDAS!
Sinto-me estranha, fui pra varanda
Consciência aberta a ver
Diante de mim, um arranha céu
De nove andares, que nasceu e eu não vi
Onde eu estive?
O que mais nasceu e eu não vi?
Passei a ver!
Tinha Vida ali, muitas vidas construindo e Muitas vidas esperando para encher
De alma e histórias
Na varanda a olhar com presença
Só me mantive ali, testemunhando,
Revestida no vácuo, sendo ELE
Testemunha DELE em Tudo!
Ali fiquei não sei quanto tempo
Só sei que dali em diante
O dia foi uma linda colheita de milagres
Abriram-se as comportas
E a Vida simplesmente
Jorra numa dança sagrada!
O meu médico me liga de imediato,
Numa intervenção de socorro,
Que tanto precisava
Uma mensagem da Dani esclarecendo e trazendo o sentido que buscava.
Um café da manhã com amor
O sentar à mesa a três
Uma sequência de mensagens
Com soluções e esclarecimentos
Libertadores, de situações travadas
Clareza
Clareza
Clareza trazendo novos rumos
Fluxo
Presentes e mimos de cuidados
Abertura para receber a Graça
Atitudes sequenciadas,
Com extraordinária precisão
Nas claras soluções
Tudo fazendo sentido
Compondo uma linda obra de arte
Meu corpo vibrando,
Saudavelmente febril e profundo silêncio
Fui me abrindo ao fluxo
Maravilhamento
Ele sempre esteve aqui!
Eu é que não estava
Voltei
Tomei acento no corpo e na alma
Final de uma tarde para acolher
E cuidar de tantos,
Assisto-me construindo
Os NOVOS PASSOS,
Sendo quem EU SOU
Simplesmente sendo o FLUXO
O movimento se fazendo
E mostrando o caminho
E eu sendo simplesmente o Fluxo
Sendo os Milagres que ele vai parindo!
Eu me recebendo de volta !
Eu Sou
Eu fluo como um Ser Divino,
Assumindo o meu lugar,
A minha responsabilidade e o meu poder AGORA!
E é só o começo!

Zunara Lyra

27.07.2021